BLOG
Guia Completo para o Exportador Brasileiro
segunda - 15 de julho de 2024
Expandir os negócios para além das fronteiras nacionais é um passo estratégico para muitas empresas brasileiras. A exportação não só aumenta a base de clientes, mas também diversifica os riscos e potencializa os lucros. No entanto, o processo de exportação pode ser complexo e desafiador. Este Guia Completo para o Exportador Brasileiro visa fornecer todas as informações necessárias para que sua empresa possa navegar com sucesso no mercado internacional.

Por que exportar?

 

Exportar oferece inúmeras vantagens, como:

Aumento da receita: 

Exportar permite que sua empresa acesse novos mercados e, consequentemente, novos clientes. Ao vender seus produtos em diferentes países, você pode aumentar significativamente suas vendas e, portanto, sua receita. Além disso, mercados internacionais podem oferecer preços mais altos para seus produtos, especialmente se eles forem considerados de alta qualidade ou exclusivos. Essa expansão de mercado é uma excelente maneira de impulsionar o crescimento financeiro da sua empresa.

Diversificação de riscos: 

Concentrar todas as suas operações em um único mercado pode ser arriscado, especialmente em tempos de instabilidade econômica. Ao exportar, você diversifica seus riscos ao não depender exclusivamente do mercado interno. Se a economia de um país estiver em declínio, os mercados internacionais podem compensar essa perda, garantindo uma fonte contínua de receita. Essa diversificação ajuda a estabilizar o fluxo de caixa e protege sua empresa contra flutuações econômicas locais.

Melhoria da competitividade: 

A exposição ao mercado internacional força sua empresa a adotar práticas de negócios mais eficientes e inovadoras. Para competir globalmente, você precisará melhorar a qualidade dos seus produtos, otimizar processos e adotar novas tecnologias. Essa melhoria contínua não só aumenta sua competitividade no exterior, mas também fortalece sua posição no mercado doméstico. Além disso, a experiência adquirida ao lidar com diferentes culturas e regulamentações pode ser um diferencial competitivo significativo.

Primeiros passos para a exportação

1. Credenciamento no Siscomex

Para iniciar o processo de exportação, sua empresa precisa estar credenciada no Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex), também conhecido como "radar". Esse sistema facilita a gestão e o controle das operações de comércio exterior.

 

2. Pesquisa de mercado

Antes de exportar, é crucial realizar uma pesquisa de mercado abrangente para identificar os países com maior demanda para seus produtos. Avaliar fatores como concorrência, regulamentações locais e preferências dos consumidores é essencial. Entender as regulamentações específicas de cada país ajuda a evitar problemas alfandegários e garante que seus produtos estejam em conformidade com as leis locais. Além disso, conhecer as tarifas de importação, normas de segurança e padrões de qualidade exigidos pelo país de destino é vital para uma operação bem-sucedida.

Compreender a cultura do país-alvo também é fundamental para adaptar seus produtos e estratégias de marketing. Isso envolve estudar os hábitos de compra, valores culturais e práticas comerciais. Uma abordagem culturalmente sensível pode facilitar a aceitação dos seus produtos e melhorar a eficácia das suas campanhas promocionais. Estabelecer parcerias com empresas locais pode ser uma estratégia eficaz para superar barreiras culturais e regulamentares, acelerando o processo de entrada no mercado e aumentando as chances de sucesso.



 

3. Documentação necessária

A documentação é uma parte vital do processo de exportação. Os principais documentos incluem:

  • Fatura Proforma: serve como contrato entre o exportador e o importador, detalhando os termos da venda, incluindo preço, quantidade e condições de entrega.
  • Nota Fiscal: emitida através do Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex), a nota fiscal é essencial para o registro da operação de exportação e para a liberação da mercadoria pela Receita Federal.
  • Declaração Única de Exportação (DU-E): documento essencial para a expedição da carga, a DU-E consolida todas as informações necessárias para a exportação em um único documento eletrônico, facilitando o processo aduaneiro.
  • Fatura Comercial (Invoice): documento detalhando os produtos exportados, incluindo descrição, quantidade, valor unitário e total, além de outras informações relevantes para a transação comercial.
  • Romaneio de Carga (Packing List): lista detalhada dos itens na remessa, especificando a quantidade, peso e volume de cada item, além de sua disposição nas embalagens. Esse documento é crucial para a conferência da carga no destino.
  • Conhecimento de Embarque (BL): documento emitido pelo transportador, seja marítimo, aéreo ou terrestre, que comprova o recebimento da mercadoria e estabelece o contrato de transporte. O BL é fundamental para a retirada da carga no destino final.
  • Certificado de Origem Digital (COD): documento eletrônico que atesta a origem dos produtos exportados de um país. Ele é emitido pelo governo ou por entidades autorizadas e comprova que os produtos em questão foram produzidos, fabricados ou processados no país de origem declarado. O Certificado de Origem Digital oferece benefícios tarifários ao importador, como a redução ou isenção de impostos, e tem a mesma validade jurídica do documento físico. A FACIAP, por meio do Sistema IPPEX, facilita a emissão do COD, tornando o processo mais rápido e seguro.

 

Logística e transporte

 

1. Escolha do modal de transporte

A escolha do modal de transporte (marítimo, aéreo ou terrestre) depende do tipo de produto, custo e tempo de entrega. Os armadores (donos dos navios) são frequentemente contratados por meio de agentes de cargas, profissionais especializados em intermediar o contato entre exportadores e transportadores.

2. Despacho aduaneiro

Os despachantes aduaneiros são responsáveis pela confecção e registro da DU-E, além de garantirem que todos os documentos estejam em conformidade com as regulamentações.

Contrato de câmbio

O contrato de câmbio é necessário para a conversão do pagamento da moeda estrangeira em reais. É importante entender as taxas de câmbio e os custos associados para evitar surpresas desagradáveis.

 

Benefícios e incentivos fiscais

O governo brasileiro oferece diversos incentivos fiscais para exportadores, como a isenção de impostos sobre produtos industrializados (IPI) e a redução de alíquotas de ICMS. Aproveitar esses benefícios pode aumentar significativamente a competitividade dos seus produtos no mercado internacional.

 

Dicas para o sucesso na exportação

1. Conheça seu cliente

Entender as necessidades e expectativas dos clientes internacionais é fundamental. Personalize suas ofertas e adapte seus produtos conforme necessário.

2. Invista em marketing internacional

Utilize estratégias de marketing digital, como SEO local, redes sociais e e-mail marketing, para alcançar potenciais clientes em outros países. A criação de conteúdo educativo, como e-books e webinars, pode ajudar a educar o mercado sobre seus produtos.

3. Parcerias estratégicas

Estabeleça parcerias com Associações Comerciais Empresariais e entidades como a FACIAP, locais para obter suporte e orientação. Essas organizações podem oferecer treinamentos, workshops e eventos que facilitam o processo de exportação.

 

A exportação pode ser o seu divisor de águas

Exportar pode ser um desafio, mas com o planejamento adequado e o conhecimento certo, sua empresa pode alcançar novos patamares de sucesso. Utilize este Guia Completo para o Exportador Brasileiro como referência e aproveite as oportunidades que o mercado internacional oferece. Para mais informações e suporte, visite o site do IPPEX  e descubra como podemos ajudar sua empresa a crescer globalmente.